Anedotas

11/09/2021 |
Assunto: , Humor

Anedotas20210911F01 Anedotas20210911F03 Anedotas20210911F02
O Uniforme do Bombeiro
Um bombeiro volta para casa depois de horas combatendo o fogo em um imenso incêndio em um edifício. Cumprida a missão, tudo o que ele quer é tomar um banho e ter uma noite de amor com a sua esposa. Porém, ao chegar em casa, encontra tudo escuro: as luzes todas apagadas. Ele tateia e vai até o quarto, abre a porta e encontra a esposa deitada na cama. Tira o uniforme no escuro mesmo e faz carinhos na mulher.
– Não, querido, hoje não. Estou morrendo de dor de cabeça. Nem acenda a luz, que qualquer luzinha me irrita.
– Então, querida, vou pegar um remedinho no banheiro.
– Nãão, amor. Não acenda nenhuma luz, por favor, acho que estou é com uma terrível enxaqueca. Vá até a farmácia do seu Zé e compre um remédio para mim, por favor.
O marido fica preocupado. Veste-se no escuro mesmo, pegando suas roupas com pressa, e corre para a farmácia.
– Seu Zé, eu quero um remédio para enxaqueca urgentemente, pois minha mulher está sofrendo de tanta dor.
– Tudo bem, vou pegar, mas me responda uma coisa. O senhor não é bombeiro?
– Sou, e daí?
– Então por que está usando as roupas do carteiro?

Vendendo Bíblias
Um padre estava distribuindo Bíblias para as pessoas venderem e ajudarem na reforma da igreja. De repente, chega um homem oferecendo seus serviços.
– Pa… pa… padre, eu ga… go… gosta… taria de aju… ju… da… dar a ve… ve… nder bi… bi… bíblias!
Comovido com a tentativa de colaborar, o padre deu um lote de Bíblias para o homem. No final da tarde, durante o acerto de contas, o padre ia perguntando para os colaboradores:
– Você, quantas vendeu?
– Vendi duas.
– E você?
– Vendi uma.
Então chegou a vez do moço.
– E você, quantas vendeu?
– Eu va… ve… ndi tu… tudo.
– Tudo?! – espantou-se o padre – Mas como?
– É si… simples: eu cha… chegava pa… pra pe… pessoa e pa… pe… pe… perguntava: o se… senhor va… vai ca… comprar a bi… bíblia ou ca… quer que… que eu leia in… te…te… inteira?

Como Vocês São Felizes No Inferno?
Um infeliz pecador morreu e foi parar na porta do inferno. Lá, um auxiliar de capiroto se apresenta e faz a seguinte pergunta:
– Então, você prefere ir para o inferno brasileiro ou para o inferno americano?
– Qual a diferença?
– Bom. Existe um muro que separa os dois infernos. No inferno brasileiro, você terá que comer uma lata de 20kg de excrementos no café da manhã, no almoço e no jantar. À noite, o diabo aparece para te espetar até o fogo infernal, e você fica lá ardendo até o dia seguinte.
– E como é o inferno americano? – Indaga o pecador.
– No inferno americano é o mesmo esquema, só que em vez de uma lata de 20kg de estrume, você terá que comer somente um pires.
O pecador não pensou duas vezes, e preferiu o inferno americano. Chegando lá, ele repara que estavam todos cabisbaixos e tristes. Enquanto isso, do outro lado do muro, ouvia-se pagode, samba, dupla sertaneja, gargalhadas, enfim, uma animação de dar inveja. Não conformado, o pecador sobe no muro e chama alguém do outro lado.
– Ei, como vocês conseguem festejar? Aqui o pessoal come um pires de estrume e vive triste, enquanto vocês comem uma lata de 20kg e vivem dando risada. Como é possível?
– Bem, é que aqui é o Brasil, né? Um dia falta lata, no outro falta estrume, no outro dia o diabo não vem e no outro é feriado! No dia seguinte falta lenha para a fogueira e assim vai. É só festa!

Uma Gravata No Deserto
Desesperado para escapar da polícia, um criminoso vai para o deserto carregando uma quantidade muito pequena de água. Logo, a água se esgota e o criminoso está rastejando, cansado no sol e calor do deserto. Quando ele estava perto de perder a cabeça, o homem parece ver algo na distância. Na esperança de encontrar água, começa a correr em direção ao que ele acredita que é um oásis. Após a chegada, tudo o que encontra é um vendedor de gravatas.
– Você tem água?
– Eu terminei a minha água, mas você gostaria de comprar uma gravata? Custa apenas R$5,00.
O criminoso, frustrado, respondeu:
– Seu idiota! Você acha que eu preciso de uma gravata? Eu matava você se não tivesse que ir procurar água!
– Não há necessidade de falar assim, disse o vendedor. Embora não queira comprar minhas gravatas e ter me tratado mal, eu vou lhe ajudar. Se você continuar a descer a duna por cerca de 6 km, você vai encontrar um restaurante com boa comida e toda a água gelada que quiser. Boa sorte!
Irritado, o criminoso vai para a duna. Horas mais tarde, o velho o vê voltar, rastejando pela areia. Quando chega, o vendedor lhe pergunta:
– Tudo bem?
– Não me deixaram entrar sem gravata.

O Papa e o Motorista
Depois de arrumar toda a bagagem do Papa, o motorista reparou que este ainda se encontrava no exterior da limusine.
– Desculpe-me Vossa Santidade, disse o motorista. Não se importa de ocupar o seu lugar para que possamos seguir?
– Bem, para dizer a verdade, diz o Papa, no Vaticano nunca me deixavam dirigir quando era Cardeal, como Papa ainda menos, e eu queria ver como é dirigir uma limusine!
– Desculpe-me Santidade, mas não posso fazer isso. Perderia o meu emprego! E se acontecesse alguma coisa?
– E quem é que vai contar? – diz o Papa com um sorriso.
Relutantemente, o motorista senta-se atrás, enquanto o Papa ocupa o lugar ao volante. O motorista imediatamente se arrepende, pois mal deixam o aeroporto o Papa pisa fundo, acelerando a limusine e alcançando 200 quilômetros por hora.
– Por favor, Santidade! – implora o preocupado motorista, mas o Papa continua empolgado na direção, com o pé no acelerador, até que se ouvem sirenes.
– Oh, meu Deus, vou perder a minha habilitação e o emprego! – soluçava o motorista.
O Papa encosta a limusine e abaixa o vidro quando o policial se aproxima. Quando olha para o motorista, regressa à moto e faz contato pelo rádio com a Central.
– Preciso falar com o Chefe, informa ao operador.
O Chefe responde e o guarda diz-lhe que mandou parar uma limusine que seguia a 200 quilômetros por hora.
– Então aplique-lhe a multa, diz o Chefe.
– Acho que não vai dar pra fazer isso, o cara é muito importante, diz o policial.
– Por isso mesmo, multa o sacana!
– Não, é que é MESMO importante, insiste o guarda.
– Quem você tem aí, o Presidente da Câmara?
– Mais importante.
– Um deputado?
– Mais importante.
– Um senador?
– Muito mais!
– Mas então quem é?
– Acho que é Deus!
O Chefe fica atrapalhado.
– E o que te leva a pensar que seja Deus?
– É que o motorista dele é o Papa!

+Humor

Voltar Próximo artigo