Forrest Gump – Um hino à inocência e à bondade

19/12/2018
| Colunista: , Wanderley Rebello Filho
|
Assunto: , Cinema & Teatro

WanderleyRF20181219

Assisti hoje mais uma vez, mas não pela última vez, ao filme Forrest Gump.

O filme é um hino à inocência e à bondade, com um desempenho magistral de Tom Hanks que dá vida a Forrest, um especial homem especial que só sabe fazer o bem e ajudar às pessoas, e que desde criança e ao longo de toda a sua vida amou apenas uma mulher. Isto deve ser fantástico, se puder acontecer de verdade!

Um especial homem especial que corre por três anos quando a mulher que ele ama o abandona. Forrest é um homem muito bom, puro e de vida muito simples, o que eu acho que, infelizmente, só filmes e sonhos produzem.

Cada vez que assisto a este filme me dou conta dos seres humanos sem graça que a maioria de nós somos, quase sem utilidade, pois somos incapazes de amar sincera e intensamente as pessoas, e de exercer a bondade frequente e indistintamente.

Estou nesta vida há muito tempo, por empréstimo temporário de Deus à família e aos amigos, mas ainda não sou capaz de loucuras como empurrar o sol com as mãos para a lua chegar, nem de cantar ou dançar na rua, nem de correr um dia sequer por ninguém. Isto é triste! Você é capaz?

Talvez, tudo o que a gente precisa é de um pouco da loucura de Forrest Gump para tentar ser uma pessoa melhor.

Voltar Próximo artigo