Uso da tecnologia em casa: como os pais podem regular?

20/11/2018 |
Assunto: , Infância & Adolescência, Tecnologia

As crianças de hoje nascem em um mundo onde a tecnologia desempenha um papel vital na vida das pessoas. Mas como podemos regular o uso da tecnologia em casa?

EstanteM20181120

Na cultura digital em que vivemos é importante que crianças saibam ser usuários conscientes da tecnologia. Por isso, veja algumas sugestões de como regular o uso da tecnologia em casa!
A tecnologia melhorou negócios, educação, entretenimento e saúde, entre outros, e a inovação continuará a ajudar as pessoas a viver e trabalhar de forma mais eficiente e produtiva.
Com isso, as crianças crescerão com conhecimento sobre computadores, TV, smartphones e internet.
E a tecnologia pode auxiliar no crescimento e desenvolvimento das crianças, especialmente em seu aprendizado. No entanto, como tudo na vida, seu uso em excesso pode ser ruim.
Pensando em como o uso da tecnologia em casa pode ser moderada, confira algumas sugestões simples de regulá-la com as crianças e jovens!

Incentive-os aprender coisas novas

Para mantê-los ocupados, ajude seus filhos a aprender coisas novas. Se você acha que seus filhos têm potencial para cantar, inscreva-os em aulas de música.
Se eles têm paixão em dançar, envie-os para uma escola de dança.
É importante que as crianças desenvolvam suas habilidades e talentos por meio de aprendizado baseado em ações, onde podem também socializar com outros colegas.
Isso os ajudará a ter mais tempo dedicado a outras atividades e não depender dos celulares e computadores.

Envolva-os em atividades físicas

Quando as crianças gastam grande parte do seu tempo em videogames ou assistindo a filmes e séries seu estilo de vida se torna sedentário, o que pode levar a várias consequências negativas de saúde, por exemplo.
Assim, é importante que você incentive seus filhos a terem um estilo de vida ativo participando de atividades físicas na escola ou introduzindo-os em esportes.
Os esportes oferecem muitos benefícios à saúde para as crianças, incluindo o desenvolvimento da autoestima e um relacionamento mais forte com outras pessoas.

Defina um limite no uso dos dispositivos

O ato de proibir pode causar um efeito contrário e estimular ainda mais a vontade de alguém fazer algo.
Isso pode ser levado em conta ao tentar proibir seus filhos de usarem a tecnologia em casa. Em vez de cortar radicalmente o hábito, você pode definir um limite para o tempo permitido de uso deles.
De acordo com pesquisa da Academia Americana de Pediatria, é melhor limitar o tempo de tela das crianças em até duas horas.
Ou em uma, no máximo, se for considerar os mini internautas entre 2 a 5 anos.
Também é aconselhável dar às crianças uma programação que declare a hora ou o dia em que elas têm permissão para acessar a tecnologia.

Não use a tecnologia como recompensa emocional

Celulares, televisões e computadores podem ser muito eficazes para manter as crianças calmas e tranquilas, mas não deve ser a única maneira em que elas podem aprender a se acalmar.
As crianças precisam aprender como identificar e lidar com emoções fortes, desenvolver atividades para controlar o tédio ou acalmar-se respirando.
Além disso, é importante que saibam expressar e falar sobre maneiras de resolver o problema e encontrem outras estratégias para canalizar suas emoções.

Seja um bom modelo

Ensine sobre o uso da tecnologia em casa de forma consciente. Como as crianças procuram ser reflexo dos pais, procure moderar seu próprio uso tecnológico na frente dos pequenos.
Além de isso ajudar a regular o uso da tecnologia em casa, isso te ajudará a se conectar verdadeiramente com os seus filhos eles, em vez de simplesmente olhar para uma tela.

Crie zonas livres de tecnologia

Mantenha as refeições das famílias, outras reuniões familiares e sociais e os quartos das crianças como lugares em que celulares e videogames não entram.
Desligue as televisões que não estiverem assistindo, porque a TV de segundo plano pode atrapalhar o tempo presencial com as crianças.
Recarregue dispositivos durante a noite, fora do quarto do seu filho para ajudá-lo a evitar a tentação de usá-los quando deveriam estar dormindo.
Essas mudanças encorajam mais tempo para a família, hábitos alimentares mais saudáveis e melhor sono.

Certifique-se de que durmam no horário correto

A privação do sono é um dos principais efeitos negativos do uso da tecnologia.
Computadores, tablets e outros dispositivos móveis emitem radiação e luzes brilhantes que podem suprimir a produção de melatonina, o hormônio responsável por nos fazer dormir.
Assim, certifique-se de que as crianças vão para a cama no horário combinado.
Além disso, lembre da sugestão anterior: não torne acessível nenhum celular ou ferramenta tecnológica ao alcance delas.

Acompanhe suas atividades online

A vantagem dos computadores e outros dispositivos tecnológicos é que as crianças podem acessar facilmente informações e pesquisas.
Por outro lado, também pode ser uma desvantagem, pois a internet não tem um limite no conteúdo que fornece às crianças.
Eles podem acessar conteúdos impróprios que são prejudiciais ao seu desenvolvimento.
É importante que, além do monitoramento do tempo, também haja um sobre o que as crianças têm acesso com o uso da tecnologia em casa.
Os pais e responsáveis podem integrar seus navegadores com recursos de filtragem de conteúdo para bloquear o acesso a qualquer site ou conteúdo que não seja saudável para elas.

Lembre-se: as crianças serão crianças. As crianças vão cometer erros usando a tecnologia. Tente lidar com erros com empatia e transformar um erro em um momento de aprendizado.
Além disso, é importante ficar atento também a alguns perigos, como bullying virtual.
Os pais devem observar cuidadosamente o comportamento de seus filhos e, se necessário, pedir ajuda profissional de apoio, incluindo o pediatra da família.
Essas tecnologias estão aqui para ficar, devem ajudar a todos a longo prazo, e não temos escolha senão aceitar sua onipresença no mundo das nossas crianças e adolescentes.
Dito isso, pais, professores e outros adultos ao redor estão em posição de influenciar ativamente o papel que essas tecnologias têm em suas vidas.
Assim como criar usuários informados da mídia e diminuir grande parte dos efeitos sociais e cognitivos potencialmente prejudiciais.
Afinal de contas, nada melhor do que ensinar as crianças a serem usuários conscientes nessa cultura digital em que vivemos!
Prontos para incentivar e aplicar algumas dicas do uso da tecnologia em casa?

Fonte: Estante Mágica
Amanda Avelino

Voltar Próximo artigo