Pensando Bem – Frida Khalo

28/06/2021 |
Assunto: , Cultura

Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón foi uma pintora mexicana conhecida
pelos seus muitos retratos, autorretratos e obras inspiradas na natureza

PensandoBem20210628

Nascimento: 6 de julho de 1907 – Coyoacán – Cidade do México
Falecimento: 13 de julho de 1954 – Coyoacán, Cidade do México

Filha de pai alemão e mãe espanhola desde pequena teve uma saúde debilitada. Com seis anos contraiu poliomielite que lhe deixou uma sequela no pé. Com 18 anos, sofreu um grave acidente de ônibus que a deixou um longo período no hospital.

Apesar de deprimida e incapacitada de andar, Frida passou a pintar sua imagem, com um espelho pendurado na sua frente e um cavalete adaptado para que pudesse pintar deitada.

Recuperada, Frida passa a estudar desenho e modelagem na Escola Nacional Preparatória do Distrito Federal do México. Em 1928, filiou-se ao Partido Comunista Mexicano, onde conheceu Diego Rivera, um importante pintor do Muralismo Mexicano.

Casamento e Viagens
PensandoBem20210628FridaFrida e Diego Rivera (1931)

Em 1929, com 22 anos, Frida Kahlo casa-se com o Diego Rivera e vão morar na Casa Azul, onde Frida nasceu. Em 1930, Frida engravida, mas sofre um aborto espontâneo. Nesse mesmo ano, foi com o marido para os Estados Unidos, onde ele realizava exposições. Moraram nas cidades de Detroit, São Francisco e Nova Iorque. Nesse período, sofre um segundo aborto.

Dedica à pintura, realiza um grande número de autorretratos. Ficou nos Estados Unidos até 1934.

Retorno ao México

Em 1934, o casal retorna ao México. Frida sofre mais um aborto. Nessa época, tem os dedos do pé direito amputados. Em 1935, Frida e Rivera se separam. Rivera se relaciona com a irmã de Frida, Cristina. Logo depois, Frida e Rivera voltam a viver juntos. Em 1936, Frida passa por nova cirurgia no pé e, sofre com fortes dores na coluna. Mesmo debilitada, continua pintando.

Em 1939, já separada do marido, Frida expõe em Nova Iorque e em Paris. Nessa época, entra em contato com Pablo Picasso e Wassily Kandinsky. O Museu do Louvre adquire um de seus autorretratos.

Apesar de passar por diversas cirurgias e usar um colete de gesso em consequência do acidente, Frida não parava de pintar. Sua obra recebia influência da arte indígena mexicana. Pintava paisagens mortas e cenas imaginárias. Usava cores fortes e vivas, explorando principalmente os autorretratos. Frida Kahlo era também aficionada por fotografia, hábito que herdou de seu pai e do seu avô materno, ambos, fotógrafos profissionais.

Foi uma defensora dos direitos das mulheres, tornando-se um símbolo do feminismo. Em agosto de 1953, Frida tem uma perna amputada na altura do joelho devido a uma gangrena.

Com esse sofrimento, Frida escreveu em seu diário: Amputaram-me a perna há 6 meses, deram-me séculos de tortura e há momentos em que quase perco a razão. Continuo querendo me matar.

Deprimida, viveu os últimos anos de sua vida na Casa Azul, no México, que em 1958, passou a abrigar um museu em homenagem à pintora.

Frida Kahlo faleceu em 1954.

Frases

* Eles pensaram que eu era uma surrealista, mas eu não era. Eu nunca pintei sonhos. Eu pintei minha própria realidade.

* Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?

* Pinto a mim mesma porque sou sozinha, e porque sou o assunto que conheço melhor.

* Espero que a partida seja feliz e espero nunca mais voltar.

* Tentei afogar minhas mágoas, mas as malditas aprenderam a nadar, e agora estou sobrecarregada com essa decente e boa sensação.

* Minha pintura carrega em si a mensagem da dor.

* A única coisa que sei é que pinto porque preciso e eu pinto tudo que se passa em minha cabeça, sem maiores considerações.

* Eu sou minha única musa, o assunto que conheço melhor.

* Eu costumava achar que eu era a pessoa mais estranha do mundo, mas aí eu pensei: tem que ter alguém como eu, que se sinta bizarra e imperfeita, da mesma maneira como eu me sinto.

* Pode-se inventar verbos? Quero inventar um: Eu te céu, assim minhas asas se tornam enormes para te amar sem medidas.

* A dor é parte da vida e pode se tornar a própria vida.

* Ao fim do dia, podemos aguentar muito mais do que pensamos que podemos.

* Eu não estou doente. Eu estou despedaçada. Mas me sinto feliz por estar viva enquanto eu puder pintar.

* Cada tic tac é um segundo da vida que passa, foge, e não se repete. E há nele tanta intensidade, tanto interesse, que o problema é só sabê-lo viver. Que cada um o resolva como puder.

* O homem é dono de seu destino e seu destino é a terra, e ele próprio o está destruindo até ficar sem destino.

+Pensando Bem
+Frida Khalo

Voltar Próximo artigo