Paixão por carros

05/10/2015
| Colunista: , Flavio Leal
|
Assunto: , Automóveis

Atenção, meninas: a concorrência é grande!

Um dos ícones da modernidade, o automóvel se mantém no topo dos objetos de desejo dos homens, mesmo após quase um século da sua invenção. Para as mulheres, não é a mesma coisa.

Grande parte dos homens precisa “sentir” o carro: mais do que olhá-lo, é preciso vivê-lo! As mulheres, por sua vez, gostam do veículo por estar ou não adequando às suas necessidades práticas. Avaliam, em primeiro lugar, a relação custo-benefício.

Isto quer dizer que a paixão por carros se manifesta de formas bem diferentes entre eles e elas. E, neste caso, podemos dizer sem medo: eles amam muito mais intensamente do que elas!

Amam carros potentes e velozes, enquanto elas buscam segurança. Eles adoram o som do motor, e elas querem silêncio. Homens ficam inebriados com o cheiro de carro novo, o mesmo odor capaz de dar enjoos em muitas mulheres. O carro deles é organizado, não tem quase nada espalhado. Já no delas, salve-se quem puder: tem de batom a guarda-chuva, de revistas a peças de roupa.

A paixão dos homens pelos carros é tanta, que são capazes de coisas impensáveis. Dedicam ao seu veículo atenções que não reservam para nenhum outro objeto. O mesmo homem que jamais toma a iniciativa de dar uma enxaguada nos pratos sujos da pia, num fim de semana é capaz de dedicar horas para lavar ou esperar que o seu carro seja lavado.

E a mulher, sempre preocupadíssima com a limpeza e a organização da casa, raramente lembra de levar o seu veículo para o banho.

É por isso tudo que as propagandas de carros femininos priorizam valores como amizade, bem-estar e elegância, enquanto as de carros mais masculinos mostram automóveis superequipados, que viajam por belas paisagens, sugerindo o quanto pode ser emocionante e desafiador descobrir novos caminhos.

Associado subjetivamente a atributos como velocidade e potência, considerados viris, o carro se presta melhor a ser alvo de um processo de identificação (e paixão!) masculina.

Segundo pesquisas, o homem tende a revestir o carro de significados simbólicos, a ponto de humanizá-lo como se fosse uma garota a ser cuidada ou uma mulher a ser amada. Portanto, atenção, meninas! A concorrência é grande!

Fonte: Revista Km de Vantagens

Voltar Próximo artigo