O veto de Temer à educação

09/01/2018
| Colunista: , Célio Lupparelli
|
Assunto: , Educação, Política

O desenvolvimento que buscamos e a paz com a qual sonhamos jamais serão possíveis sem educação

Uma demonstração federal de que a educação está longe de ser prioridade foi o veto do presidente Michel Temer à verba complementar de R$1,5 bilhão ao Fundeb. O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação vai deixar de receber esses recursos no orçamento aprovado para 2018. A atitude do presidente se torna mais repugnante, ainda, quando constatamos que esse foi o único veto de Temer no orçamento.

Essa verba complementar, oriunda de impostos, seria destinada a municípios brasileiros, extremamente carentes no ensino, onde a arrecadação não é suficiente para garantir o valor mínimo nacional por aluno ao ano. Vale lembrar que a complementação mínima ao fundo está garantida por ser uma previsão constitucional. A mão insensível do presidente cortou a verba num momento em que nos deparamos com dados recentes do IBGE apontando que o Brasil ainda tem cerca de 11,8 milhões de analfabetos, o que corresponde a 7,2% da população de 15 anos ou mais.

As maiores potências mundiais cresceram a partir do investimento maciço na educação. Aqui, o que vemos crescer é a corrupção e a mente cauterizada de políticos a quem parece interessar a ignorância covarde do povo. Como consequência, o Plano Nacional de Educação já acumula inúmeros atrasos no cumprimento de suas metas e estratégias.

Para avançarmos com o vigor necessário a fim de superar o atraso educacional, teremos que ter mais investimentos com melhor gestão. E não é possível tecer um novo cenário educacional sem valorizar os profissionais que alavancam esse processo.

A educação não pode estar vinculada às oscilações econômicas e fiscais. Os recursos educacionais precisam ser permanentes e geridos não só com técnica, mas com o mínimo de sensibilidade de quem entenda que o desenvolvimento que buscamos e a paz com a qual sonhamos jamais serão possíveis sem educação.

Voltar Próximo artigo