Moradia e Trabalho: Como viabilizar essa equação?

21/02/2019 |
Assunto: , Comportamento, Imóveis, Saúde

Nos dias atuais a prioridade é ter mais tempo para a família e lazer
CreciRJ20190221A busca por melhor qualidade de vida tem entrado na lista de prioridades de muitas pessoas. Uma das coisas que está no centro dessa discussão é a relação entre o local de trabalho e a residência. As grandes distâncias percorridas por quem mora longe de onde trabalha configuram uma fonte geradora de malefícios que afetam diretamente o indivíduo, como o estresse, por exemplo. Mas nem sempre reduzir o tempo de deslocamento se mudando para um imóvel mais perto do emprego pode ser considerado a solução de todos os problemas. Diversas áreas da vida podem ser afetadas com estas mudanças, a maioria de forma positiva, mas sempre tem um ponto negativo.

O estresse é o primeiro sinal de que uma pessoa pode não estar se sentindo confortável ou com o trabalho ou com o local onde mora, podendo ser agravado por outros fatores. O tempo gasto no deslocamento, que pode variar significativamente de acordo com as condições do trânsito, tanto na ida quanto na volta, faz com que boa parte do seu dia seja dentro de um transporte público ou sozinho no carro, aumentando a sensação de desperdício. As pessoas gastam, em média, três horas por dia com deslocamento, um tempo que poderia ser melhor aproveitado.

Além do tempo perdido com trânsito, as relações familiares e interpessoais ficam mais difíceis de serem desenvolvidas. Quem tem filhos quase não consegue passar um tempo com eles ou já chega em casa muito tarde e, naturalmente, cansado demais para dar a devida atenção. O cansaço provocado pelo deslocamento, engarrafamento, condução cheia e um dia corrido e cheio de tarefas no trabalho pode interferir diretamente no período reservado para atividades de lazer, tendo em vista que a rotina exaustiva faz com que o indivíduo queira utilizar a folga pra descansar em vez de se divertir ou fazer outras atividades.

O chamado horário comercial faz parte da rotina da maioria dos trabalhadores e concentra pela manhã e no final da tarde o período de pico do trânsito, devido ao grande fluxo de veículos nas ruas. Como resultado, engarrafamentos e transporte público sobrecarregado. Quem opta por morar nas proximidades do local de trabalho evita este tipo de situação, minimizando atrasos e evitando estresse que influenciam negativamente na produtividade. O tempo gasto pode ser transferido para horas a mais de sono, garantindo maior disposição e ânimo.

Outro problema que pode ser amenizado é o sedentarismo. Evitar a perda de tempo com deslocamento permite que sobre espaço na agenda para a prática de exercícios e, dependendo da distância necessária, pode-se ir de bicicleta ou fazer uma breve caminhada. E isto impacta diretamente na parte financeira, pois possibilita a redução de custos com transporte ou combustível, permitindo uma redistribuição do orçamento.

Ter mais tempo sobrando facilita na hora de reorganizar a agenda, proporcionando mais qualidade de vida e bem-estar, momentos de lazer e diversão, passar mais tempo com a família e amigos, conviver mais com a vizinhança, melhorando suas relações interpessoais, e manter sempre em dia as tarefas domésticas sem deixar que elas acumulem para o fim de semana.

Como nem tudo são flores, morar perto do trabalho pode ter seu ponto negativo. Muitas empresas estão localizadas nos grandes centros, justamente onde o custo dos imóveis ou dos aluguéis são bastante elevados, o que pode ser um grande problema por representar um aumento de gastos com moradia. Ainda assim há a possibilidade de reduzir a distância, mesmo que ainda tenha que utilizar transporte público ou enfrentar o trânsito.

De fato, morar perto do trabalho tem muito mais vantagens do que desvantagens, mas é preciso pesquisar imóveis com valores competitivos para que isso não se torne um prejuízo. Ter mais tempo de lazer para aproveitar a família, descansar, estudar ou simplesmente tirar um momento para você faz toda a diferença no seu ânimo, melhora o humor, aumenta a produtividade e garante maior satisfação com as tarefas e atividades realizadas.

Fonte: Stand Edição 44 – Revista do Creci-RJ

Voltar Próximo artigo