Dialogando os fundamentos do casamento

22/11/2018 |
Assunto: , Comportamento

CarlaRibeiro20181122

Saiba como o diálogo tem suma importância ao tratar de relacionamento

Aprender a se comunicar num relacionamento é um aprendizado diário e é necessário adquirir sempre um modo sutil de falar. É um grande engano achar que podemos falar tudo na hora que queremos e como queremos.

As pessoas têm diferentes emoções, tem comportamentos influenciados pelas circunstâncias do dia a dia. Portanto, o diálogo na vida de um casal é de extrema importância para que ambos se entendam e se conheçam.

Quando o casal não está bem, a comunicação é o primeiro fator que faz um declínio na relação. A falta dele provoca distanciamento, mal entendidos e quando um dos dois opta pelo silêncio, nunca é a melhor escolha.

Para ouvir, é necessário se calar e depois interpretar a mensagem recebida. Se você ouve com muita ansiedade de responder, com a criação de contra argumentos, ouve como se tivesse sempre rebatendo, a conversa entre o casal sempre terá muitas dificuldades e possibilidades do distanciamento dos dois.

O diálogo seja no namoro ou no casamento deve ter as mesmas primícias. Quando se namora, principalmente, no início do namoro, o casal sempre tem um cuidado do que fala e como fala com sua parceria. Porém, ao longo do relacionamento, percebe-se que a comunicação ou a forma que construíram de se comunicar, vira um hábito.

Pode ocorrer de um falar demais e o outro falar de menos ou nem falar, por receio de aborrecer a parceria.

No casamento, o casal tem mais tempo de aprenderem juntos como se comunicarem melhor. Alguns erros no namoro se estendem para o casamento e há casos que uma das partes, começa a ter uma enorme insatisfação, começando haver a indiferença do casal e também algumas brigas por meros detalhes, que possa ocasionar o rompimento do relacionamento.

Dicas de como lidar com a dificuldade de ouvir e conversar

* Organize o seu discurso, saiba o que irá falar;
* Procure falar um assunto de cada vez, misturar os assuntos não vai adiantar para o bom proveito do diálogo;
* Escolha um momento de tranquilidade para o diálogo, dialogar não é brigar;
* Algumas pessoas precisam de um tempo maior para digerir toda a situação, então, paciência.
* Diga a sua parceria o que gosta e o que não gosta, fale na primeira pessoa: “Eu gosto ou não gostei”;
* Se uma das partes não consegue ouvir, evite discussões neste momento;
* Se você não tem certeza do que falar, deixe para dialogar em outro momento;
* Não diga palavras que não gostaria de ouvir.

Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar
Facebook

Voltar Próximo artigo