Condôminos bem informados

29/04/2019 |
Assunto: , Condomínios, Síndicos, Tecnologia

Plataformas digitais como WhatsApp têm sido amplamente usadas para estreitar o relacionamento entre síndicos e moradores, mas é preciso atenção ao usá-las

Hilmar20190429

Desenvolvidas para encurtar as distâncias e agilizar a comunicação, as redes sociais estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. WhatsApp, Messenger e Telegram são exemplos de plataformas que caíram no gosto da população e são amplamente usadas, inclusive no meio corporativo – centenas de empresas aderiram aos aplicativos para entrar em contato e estreitar o relacionamento com funcionários, clientes, potenciais clientes e fornecedores. Mas quando o assunto é condomínio, será que o resultado de usar as redes sociais para melhorar a comunicação entre os moradores e síndico é positivo?

Embora existam aplicativos de gestão da comunicação condominial, pelo amplo conhecimento e facilidade de uso, muitos síndicos acabam recorrendo ao WhatsApp para se comunicar com moradores, funcionários e outros participantes da administração do condomínio. O uso dessa plataforma tem prós e contras, que precisam ser levados a sério. Antes de criar um grupo no WhatsApp, por exemplo, a primeira orientação é colocar a questão para os condôminos e para a Assembleia do Condomínio.

Receber aprovação é importante porque as pessoas que estarão no grupo terão de expor seus dados pessoais, como o número do telefone celular, e essa iniciativa pode ser considerada violação da intimidade e até ser levada a processos judiciais, caso não seja aprovada em assembleia.

Confira outras dicas de bom uso das plataformas digitais no condomínio

* O WhatsApp não deve ser o canal oficial de comunicação entre a administração e os moradores. Essa plataforma deve ser usada para estimular os moradores a se comunicarem com o síndico por ali, sempre que possível.

* O canal oficial deve ser e-mail, aplicativo do próprio condomínio, livro de ocorrências, site do condomínio, informativo nos elevadores e newsletter, entre outros.

* Crie regras de uso do grupo e replique-as sempre que algum morador escrever algo que saia do padrão.

* Procurar usar o WhatsApp para emergências, como para informar que o portão da garagem está quebrado, é uma excelente ideia. Por outro lado, as reclamações devem ser feitas por e-mail ou pessoalmente, com o síndico ou na administração.

* Respeite o horário comercial para mandar as mensagens, a não ser que seja uma emergência.

* Alguns especialistas recomendam que o síndico não participe do grupo de WhatsApp do condomínio, pois esse será um espaço de exposição pessoal dos moradores. Cabe ao síndico analisar a ideia e tomar a melhor decisão.

Fonte: Revista Hilmar 41

Voltar Próximo artigo